Outlab.

Você sabe o que são Progressive web apps ou PWA?

1 de agosto de 2019

Natalia Figueiredo

Clique para avaliar esse post!
Total: 1 | Média: 5

Uma dúvida muito comum entre os usuários é a necessidade de ter ou não um aplicativo. Mas a pergunta é: Quantos aplicativos você usa por dia? Ou baixa por mês? Provavelmente, poucos. Certo?

Há limitações de espaço no celular, qualidade na conexão, divulgação e atualizações. Por isso, uma solução é mesclar os benefícios da plataforma com comodidades de páginas web em Progressive Web Apps. Uma evolução híbrida entre sites e aplicativos mobile.

Essa metodologia ainda é recente na tecnologia mas possui um grande potencial a ser explorado.

Como funciona o PWA?

Progressive web apps são funcionalidades que conseguem desenvolver páginas que rodam em qualquer dispositivo e circunstância, mesmo sem internet se forem pré-carregadas enquanto o dispositivo estiver online. Eles são aplicativos da web rápidos e confiáveis. 

Independentemente do browser utilizado, o usuário tem todas as funcionalidades do aplicativo disponíveis, como ícone na tela principal do dispositivo usado, Cache API, acesso à câmera, microfone e touch id. O que antes só era possível ser feito com apps nativos.

Assim, a interface é a mesma de um aplicativo, mas a velocidade é igual a de um site. Essa rapidez é essencial para aumentar o número de engajamento e retenção do PWA. Um fator de extrema importância também é que ele precisa ser responsivo, se adequando em telas de tablet, smartphones e desktop.

A conexão precisa funcionar, com o usuário conectado ou não, e é preciso ser app-like, ou seja, quem está usando esse app precisa se sentir confortável, como se estivesse navegando em um aplicativo nativo.

As atualizações são automáticas, qualquer anormalidade é detectada e prontamente modificada, sem precisar de uma aba de atualização, como é feito hoje nas app stores. E, por último, mas não menos importante, o PWA é seguro. Isto é, trabalha unicamente com HTTPS.

Vendas, performance e otimização

Já falando da performance, por conta do PWA funcionar tão rápido quanto um site, é muito mais interessante para o usuário, na perspectiva de vendas. O desempenho das taxas de conversão tendem a melhorar, assim como a facilidade de encontrá-los nos mecanismos de busca.

A possibilidade de se manter conectado por meio das notificações push-up é um aspecto a se considerar para otimização. São essas mensagens que fazem a ponte com o usuário, trazendo engajamento.

Os progressive web applications acabam tendo muito mais flexibilidade que os aplicativos normais para com o usuário. Pois utiliza menos etapas para fazer downloads, sem precisar ser necessariamente direcionado a uma app store. A conversão é automática.

3 exemplos de pwa no mercado

O Google já definiu o PWA como confiávelengajante e rápido, e por esse motivo, muitas empresas têm adotado a tecnologia, para levar mais conforto para seus usuários. Além disso, eles conseguem atender diversos tipos de pessoas, inclusive aquelas que possuem uma baixa qualidade de internet ou aparelhos de baixo desempenho, por apresentar um baixo uso de dados móveis.

  1. Pinterest – O Pinterest descobriu que sua experiência Web só conseguia converter 1% das pessoas que a acessavam. Era clara a necessidade de desenvolver algo que fosse mais rápido e mais engajante aos seus usuários. Resultado: Aumento de 44% na receita de anúncios gerados pelos usuários.
  2. Forbes – Um dos poucos editores de notícias digitais que utilizam essa experiência em seus sites. Resultado: 6x aumento no número de leitores que completam artigos
  3. Tinder – Um dos aplicativos de relacionamentos mais populares do mundo, atualmente, possui os dois tipo de aplicação, Nativa e Web, sendo que a última tem um custo de dados de 2,8 MB e a primeira exige um download de 30 MB.

Resultado de imagem para tinder pwa.png

Ainda ficou com alguma dúvida? Fale diretamente com a nossa equipe!

Voltar para o blog

Contato

Precisa de um projeto assim? Fale com a gente.

Mande sua mensagem
Voltar ao topo