Outlab.

Veja os cuidados que você precisa tomar para não ser penalizado pela LGPD

Simples ações do dia a dia, hoje, são completamente impossíveis de serem realizadas sem a liberação de informações pessoais como e-mail, cpf, senhas, número do cartão de crédito ou celular. A LGPD define como as empresas deverão tratar esses dados, impactando diretamente áreas como TI, marketing, jurídico, mas principalmente a vida do consumidor.

Até 2018, o Brasil ainda não contava com uma legislação que garantisse os direitos de privacidade dos seus consumidores. Mas com os constantes avanços na tecnologia e escândalos de vazamento de dados, o tema privacidade passou a ser mais discutido. Se pararmos para pensar, você manda nos seus dados?

Baseada na General Data Protection Regulation (GDPR) – regulamentação da União Européia com o mesmo fim, que entrou em vigor em maio de 2018 – a lei, sancionada em agosto do mesmo ano e que entra em vigor em 2020, aparece para proteger os cidadãos brasileiros da exposição de dados pessoais. Além de inibir o uso indevido e sem autorização dessas informações.

Minha empresa pode ser penalizada?

A LGPD define como dado pessoal qualquer informação pela qual você consiga identificar uma pessoa ou que com a união de outro dado possibilite essa identificação.

Ao todo são cerca de 60 páginas de legislação. É difícil dar conta de tudo. Mas vamos tentar sintetizar como a regulamentação impacta a rotina do seu negócio e os pontos de atenção para sua empresa.

Podemos separar os três principais indivíduos afetados em: Controladores, Operadores e Titulares. Os dados coletados pelos controladores ou operadores só podem ser tratados para fins legítimos e especificados aos titulares, ou seja, as empresas não podem coletar informações e, depois, usá-las para outros fins. É preciso ser mais claro!

Por exemplo, sua empresa tem um blog e e-commerce. Na hora da captação de leads é preciso ser objetivo sobre quais informações aquele usuário irá receber. Ou se seu usuário deu permissão para envio apenas de e-mails e não para outros canais, você não pode abordá-lo de outra forma.

Basicamente, as empresas devem coletar apenas aquelas informações estritamente necessárias para prestação dos seus serviços e liberar o titular para sair da base a qualquer momento que deseje. São regras simples para garantir mais transparência e segurança nas transações.

As penalidades pelo descumprimento da LGPD podem envolver proibição total ou parcial de atividades relacionadas a tratamento de dados ou multas.

Essas multas podem corresponder até 2% do faturamento da empresa ou conglomerado limitado até R$ 50 milhões por infração cometida. Uma infração pode ser interpretada, no caso de um vazamento de dados, como cada dado pessoal vazado.

Isso significa que mesmo se milhares de dados foram vazados de uma empresa, cada dado pode custar até R$ 50 milhões em multa. Ainda há possibilidade de multas diárias para compelir a entidade a cessar as violações.

Mas qual a importância da LGPD ?

A regulamentação oferece mais liberdade e transparência para que usuários saibam quais dados estão sendo coletados, como e para que finalidade, permitindo até mesmo que essas pessoas suspendam o compartilhamento e a autorização para o uso dessas informações, a qualquer momento.

Além disso, a lei traz flexibilidade, uma vez que pode ser adaptada de acordo com os avanços tecnológicos e, melhor: abre, também, o mercado para parcerias internacionais, uma vez que países que seguem leis similares restringem suas relações comerciais à empresas de países que garantam a segurança de dados.

As multas mais severas são aplicadas para que a empresa entre em conformidade com a lei. Sem punições desse tipo, há o risco de a lei cair em desuso caso entidades não queiram se regularizar.

A LGPD é um grande avanço no cenário de segurança de dados pessoais no Brasil, visto que é a primeira lei no Brasil a lidar com o assunto. Fica um desafio: olhar para or processos do seu negócio e adaptar serviços e produtos para que fiquem conforme a LGPD.

E você o que achou da nova legislação? Comente e participe!

Leia também: 10 estratégias para aumentar as visitas do seu site

Uma dúvida muito comum entre os usuários é a necessidade de ter ou não um aplicativo. Mas a pergunta é: Quantos aplicativos você usa por dia? Ou baixa por mês? Provavelmente, poucos. Certo?

Há limitações de espaço no celular, qualidade na conexão, divulgação e atualizações. Por isso, uma solução é mesclar os benefícios da plataforma com comodidades de páginas web em Progressive Web Apps. Uma evolução híbrida entre sites e aplicativos mobile.

Essa metodologia ainda é recente na tecnologia mas possui um grande potencial a ser explorado.

Como funciona o PWA?

Progressive web apps são funcionalidades que conseguem desenvolver páginas que rodam em qualquer dispositivo e circunstância, mesmo sem internet se forem pré-carregadas enquanto o dispositivo estiver online. Eles são aplicativos da web rápidos e confiáveis. 

Independentemente do browser utilizado, o usuário tem todas as funcionalidades do aplicativo disponíveis, como ícone na tela principal do dispositivo usado, Cache API, acesso à câmera, microfone e touch id. O que antes só era possível ser feito com apps nativos.

Assim, a interface é a mesma de um aplicativo, mas a velocidade é igual a de um site. Essa rapidez é essencial para aumentar o número de engajamento e retenção do PWA. Um fator de extrema importância também é que ele precisa ser responsivo, se adequando em telas de tablet, smartphones e desktop.

A conexão precisa funcionar, com o usuário conectado ou não, e é preciso ser app-like, ou seja, quem está usando esse app precisa se sentir confortável, como se estivesse navegando em um aplicativo nativo.

As atualizações são automáticas, qualquer anormalidade é detectada e prontamente modificada, sem precisar de uma aba de atualização, como é feito hoje nas app stores. E, por último, mas não menos importante, o PWA é seguro. Isto é, trabalha unicamente com HTTPS.

Vendas, performance e otimização

Já falando da performance, por conta do PWA funcionar tão rápido quanto um site, é muito mais interessante para o usuário, na perspectiva de vendas. O desempenho das taxas de conversão tendem a melhorar, assim como a facilidade de encontrá-los nos mecanismos de busca.

A possibilidade de se manter conectado por meio das notificações push-up é um aspecto a se considerar para otimização. São essas mensagens que fazem a ponte com o usuário, trazendo engajamento.

Os progressive web applications acabam tendo muito mais flexibilidade que os aplicativos normais para com o usuário. Pois utiliza menos etapas para fazer downloads, sem precisar ser necessariamente direcionado a uma app store. A conversão é automática.

3 exemplos de pwa no mercado

O Google já definiu o PWA como confiávelengajante e rápido, e por esse motivo, muitas empresas têm adotado a tecnologia, para levar mais conforto para seus usuários. Além disso, eles conseguem atender diversos tipos de pessoas, inclusive aquelas que possuem uma baixa qualidade de internet ou aparelhos de baixo desempenho, por apresentar um baixo uso de dados móveis.

  1. Pinterest – O Pinterest descobriu que sua experiência Web só conseguia converter 1% das pessoas que a acessavam. Era clara a necessidade de desenvolver algo que fosse mais rápido e mais engajante aos seus usuários. Resultado: Aumento de 44% na receita de anúncios gerados pelos usuários.
  2. Forbes – Um dos poucos editores de notícias digitais que utilizam essa experiência em seus sites. Resultado: 6x aumento no número de leitores que completam artigos
  3. Tinder – Um dos aplicativos de relacionamentos mais populares do mundo, atualmente, possui os dois tipo de aplicação, Nativa e Web, sendo que a última tem um custo de dados de 2,8 MB e a primeira exige um download de 30 MB.

Resultado de imagem para tinder pwa.png

Ainda ficou com alguma dúvida? Fale diretamente com a nossa equipe!

Outubro Rosa – Um alerta para o câncer de mama

14 de outubro de 2019

Nathanna Alves

Outubro Rosa - um alerta para a prevenção e detecção do câncer de mama. Uma campanha do INCA e do Ministério da Saúde

É possível prevenir o câncer de mama! Falar abertamente sobre o assunto e esclarecer os principais pontos sobre ele é o objetivo do Outubro Rosa. Conheça mais sobre a campanha e como apoiá-la. Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno […]

Continue a ler

LGPD – O que é? E o que muda com a nova Lei de Proteção dos dados?

24 de setembro de 2019

Natalia Figueiredo

LGPD - Saiba o que muda com a nova Lei de Proteção dos Dados

Veja os cuidados que você precisa tomar para não ser penalizado pela LGPD Simples ações do dia a dia, hoje, são completamente impossíveis de serem realizadas sem a liberação de informações pessoais como e-mail, cpf, senhas, número do cartão de crédito ou celular. A LGPD define como as empresas deverão tratar esses dados, impactando diretamente […]

Continue a ler

10 estratégias para aumentar as visitas do seu site

11 de setembro de 2019

Nathanna Alves

Confira 10 estratégias para aumentar o tráfego da sua página

Saiba agora mesmo como aumentar o tráfego do seu site, atrair mais visitantes e, consequentemente, conseguir bons resultados para a sua empresa. Atrair mais visitantes para o seu site ou blog parece um desafio? Talvez você só precise melhorar a visão de quem são esses visitantes que estão chegando e qual público precisa atrair mais. […]

Continue a ler

Você sabe o que são Progressive web apps ou PWA?

1 de agosto de 2019

Natalia Figueiredo

Uma dúvida muito comum entre os usuários é a necessidade de ter ou não um aplicativo. Mas a pergunta é: Quantos aplicativos você usa por dia? Ou baixa por mês? Provavelmente, poucos. Certo? Há limitações de espaço no celular, qualidade na conexão, divulgação e atualizações. Por isso, uma solução é mesclar os benefícios da plataforma […]

Continue a ler

Branding, a importância de não ser apenas “um logo”

17 de abril de 2017

outlab

Branding, a importância de não ser apenas “um logo”

Você sabe o que é branding e como isso influencia na imagem da sua marca? O que diferencia você dos seus concorrentes? Como ser lembrado pelo consumidor na hora da compra? Muito provavelmente você sabe da importância de se ter um logo. É algo que define a sua marca e te destaca da concorrência. O […]

Continue a ler

É hora de se mexer e criar algo

8 de março de 2017

outlab

É hora de se mexer e criar algo

Dificilmente você conseguirá ser qualquer coisa que queira na vida, a não ser que se esforce bastante. De uma maneira bastante realista, é muito difícil que os seus mais profundos desejos aconteçam de maneira fácil. Algumas trapalhadas simplesmente acontecem e nem todo mundo vai te tratar como um rei. Vamos apenas lidar com isso. Mas ainda podemos […]

Continue a ler

Não esqueça: Quem não é visto, não é lembrado

17 de novembro de 2016

outlab

Não esqueça: Quem não é visto, não é lembrado

Facebook, Twitter, Youtube, Instagram, Tumblr e LinkedIn. O brasileiro gasta cerca de 650 horas por mês só navegando em redes sociais, 290h a mais do que em portais de notícias. As redes socais alcançaram 78% do total de usuários no Brasil. E onde sua empresa estava em todos esses minutos? A internet oferece cada vez […]

Continue a ler

Contato

Precisa de um projeto assim? Fale com a gente.

Mande sua mensagem
Voltar ao topo